Últimas Notícias

Internet: Proposta da Prefeitura de Maringá cria ambiente receptivo ao 5G na cidade

Ulisses Maia altera uma lei municipal para criar ambiente receptivo à tecnologia 5G em Maringá

O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, assinou na terça-feira, 9, a Mensagem de Lei n. 115/2021, que altera uma lei municipal para criar ambiente receptivo à tecnologia 5G na cidade.

“É necessário começar este debate a fim de que Maringá possa receber o sinal de 5G no mesmo contexto das capitais e grandes cidades, isto é, a partir de julho de 2022”, destaca o prefeito de Maringá.


A tecnologia 5G revolucionará o setor de comunicações, tornando ainda mais velozes as conexões e auxiliando não apenas usuários de smartphone, como toda a sociedade, já que as novas instalações de Estações Transmissoras de Radiocomunicação (ETR´s) agilizarão diversos setores e serviços por meio da nova tecnologia.

Conforme pontua o secretário de Inovação, Aceleração Econômica, Comunicação e Turismo de Maringá, Marcos Cordiolli, propiciar o quanto antes para a cidade a tecnologia 5G significará melhorias efetivas nos serviços públicos.

Avanços serão implantados, explica ele, em mobiliários urbanos, como postes de energia e iluminação, placas de trânsito e será possível assistir avanços em serviços inovadores, como em linhas de produção, monitoramento, vigilância e procedimentos médicos à distância.


A Câmara de Maringá poderá votar, em regime de urgência, o projeto de lei criando ambiente receptivo ao 5G na cidade ainda nesta quinta-feira, 11, a depender da tramitação legislativa contida na pauta da ordem do dia.

A Anatel definiu que o 5G deverá funcionar nas 26 capitais do Brasil e no Distrito Federal em julho de 2022. Para as cidades do Brasil com mais de 30 mil habitantes, o prazo de implantação é julho de 2029.


Saiba mais sobre o Leilão do 5G


Foi encerrado sexta-feira, 5, pela Anatel o leilão do 5G, quando foram oferecidos lotes em quatro faixas de frequência: 700 MHz (megahertz); 2,3 GHz (gigahertz); 3,5 GHz; e 26 GHz.


Servindo como “avenidas” no ar para transmissão de dados, será por meio dessas faixas que o serviço de internet 5G será prestado, com prazo de outorga (direito de exploração das faixas) de até 20 anos.

Nenhum comentário