Últimas Notícias

Com missão a Dubai, Paraná quer aumentar exportações e apresentar futuras concessões

© Jonathan Campos/AEN

Três objetivos norteiam a missão Paraná Business Experience 2021, que levará uma comitiva do Paraná aos Emirados Árabes Unidos em outubro: ampliar o número de clientes de empresas paranaenses, atrair novos investimentos e impulsionar o turismo em tempos de retomada econômica no pós-pandemia.

A missão, anunciada nesta segunda-feira (20), é composta por representantes do Governo do Estado, de municípios paranaenses e do setor privado (que patrocinam a viagem) para Dubai entre os dias 10 e 16 de outubro — semana em que o Paraná é o protagonista do Pavilhão do Brasil na feira internacional Expo Dubai.

A expectativa é compartilhar com o mundo todas as potencialidades do Paraná, colhendo resultados concretos de novas parcerias. Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, a meta é mostrar ao mundo que o Estado é uma grande oportunidade de investimentos porque tem infraestrutura, empresas inovadores, bons índices econômicos e uma grande rede universitária de produção de conhecimento.

“Vivemos um ano e meio de colapso da economia no mundo todo, e agora todos estão se mexendo para que sua região possa voltar a crescer — e esse é nosso compromisso com o Paraná. Atraímos mais de R$ 86 bilhões de investimentos privados desde 2019 e a Expo Dubai é uma oportunidade para gerar novos empregos e divisas no Estado”, declarou o governador.

“Estamos buscando todas as oportunidades existentes dentro ou fora do Brasil para retomar nossa economia de forma forte. E o Paraná vem crescendo muito na geração de empregos, graças a esse volume de empresas que vêm de fora”, acrescentou.

Da parte do Governo do Estado, uma das principais frentes de trabalho no período será apresentar os dois ativos de infraestrutura previstos para concessão em 2022. O primeiro deles é o pacote de rodovias, que engloba 3,3 mil quilômetros de estradas e prevê investimentos de R$ 44 bilhões em obras. O outro ativo é a Nova Ferroeste, projeto de ferrovia que liga Maracaju (MS) ao Porto de Paranaguá - concessão de 60 anos que prevê investimento na ordem de R$ 33 bilhões.

Sandro Alex, secretário estadual de Infraestrutura e Logística, explica que a agenda da missão inclui encontros para apresentar os projetos a fundos de investimentos árabes, potenciais concorrentes nas concorrências.

“A entrada de um fundo de investimento nas disputas aumenta a concorrência — o que, no caso das rodovias, faz com que a disputa na Bolsa de Valores leve a uma menor tarifa para o usuário. Levaremos todas as informações para que eles possam participar desse leilão. Nosso compromisso na feira é muito focado nesses dois ativos”, afirmou.

Além da infraestrutura, outro foco estadual é o desenvolvimento sustentável — principal tema da exposição a ser apresentada no Pavilhão do Brasil ao longo da semana. Para isso, paralelamente às agendas de negócios, o Paraná conhecerá iniciativas dos Emirados Árabes Unidos que possam inspirar novas ações no Estado.

Para Keli Guimarães, vice-presidente do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social do Paraná (Cedes), a agenda inclui iniciativas ligadas à Organização Mundial da Família (WFO). “Nossa expectativa é trazer referências e boas práticas de fora que tenham a ver com a Agenda 2030 e estejam alinhados com o que queremos para o Paraná”, afirmou.

TURISMO E MUNICÍPIOS – Também integram a comitiva representantes de oito municípios paranaenses, o que, segundo o governador, ajudam a levar à Expo Dubai a oportunidade de atração turística. Para ele, a retomada econômica promete trazer uma expansão do turismo nas áreas de negócios, gastronomia e resorts.

“Todas as cidades que vão para Dubai têm uma vocação turística fantástica. O turismo movimenta muito dinheiro e gera muito emprego, e nós temos um potencial maravilhoso. Com o controle da pandemia, nosso crescimento está sendo retomado, e essa é uma oportunidade de apresentar o Paraná para o mundo nesse setor”, ressaltou Ratinho Junior.

Além disso, as comitivas municipais também têm agendas específicas para ampliar seus contatos em áreas estratégicas. É o caso de Maringá, cidade de referência nacional na exportação.

“É nesse ponto que vamos trabalhar para atrair investimentos. Estamos consolidando nosso aeroporto como um hub logístico de transporte de cargas, com uma ampliação que vai permitir voos internacionais. Assim, queremos aumentar nossa área de exportação não apenas no agronegócio, que já é muito consolidado, mas no polo de moda, já que nossa indústria têxtil é muito forte”, explicou Ulisses Maia, prefeito do município.

Além de Maringá, outras sete cidades participam do Paraná Business Experience: Ponta Grossa, Cascavel, Toledo, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Londrina e Pato Branco.

Nenhum comentário