Últimas Notícias

Ulisses Maia lança oficialmente o Projeto Plantando o Futuro

Ulisses Maia assina o projeto Plantando o Futuro - 05/08/2021

Em solenidade de assinatura de convênio entre Prefeitura de Maringá e Departamento Penitenciário do Estado do Paraná, na tarde desta quinta-feira, 5, foi inaugurado oficialmente o projeto Plantando o Futuro, que proporcionará ao município mudas de árvores graças ao trabalho de pessoas com restrição de liberdade que cumprem pena na Colônia Penal de Maringá.

“Projeto que visa a reconstrução do ser humano e que pensa na revolução das pessoas após o cumprimento da pena. É preciso ter esperança no ser humano e o projeto Plantando o Futuro é uma nova chance para quem cumpre pena de restrição de liberdade. Agradeço as parcerias entre as instituições com a nossa Maringá durante a nossa gestão”, afirmou o prefeito Ulisses Maia durante a solenidade.
 
Representando a Assembleia Legislativa do Paraná, o deputado estadual Evandro Araújo destacou os bons projetos viabilizados pela Gestão Ulisses Maia, dentre eles o Recicla Maringá e também o Plantando o Futuro, ambos da Secretaria de Limpeza Urbana, representada na solenidade pelo secretário Paulo Gustavo Ribas.
 
“Maringá já é tão querida, agora, com mais essa ação, será ainda mais! Levarei o projeto Plantando o Futuro para todo o Estado do Paraná”, comentou Evandro Araújo.
 
Representando a Câmara de Maringá, o vereador Sidnei Telles fez questão de evidenciar o lado humano do projeto Plantando o Futuro. Também representou o Legislativo o vereador Paulo Biazon.
 
“Há um esforço tremendo para valorizar o ser humano na Colônia Penal de Maringá. Parabenizo a direção da instituição e digo que o prefeito Ulisses Maia continua contando com a Casa de Leis para projetos como esses, que transformam a vida das pessoas”, disse Telles.
 
PROJETOS DE REINSERÇÃO - Durante a solenidade, Ulisses Maia, acompanhado do diretor da Colônia Penal de Maringá, Osvaldo Machado, e  da doutora Fabiane Pieruccini, representando o TJ-PR, conheceu outros projetos que objetivam oportunizar trabalho, renda e mais dignidade para quem cumpre pena e que costuma encontrar dificuldade quando do retorno ao convívio na sociedade.
 
Além do viveiro de mudas, o local conta com uma confecção de quimonos que são exportados para diversos países, todos feitos com mão de obra dos apenados, uma mini-fábrica de blocos de cimento, uma padaria-escola, que ensina atividades relacionadas à panificação, e por fim uma panificadora aberta pela iniciativa privada e que foi inaugurada nesta quinta no local.
 
Também com o trabalho dos apenados, a padaria produzirá 5 mil pães por dia para comercialização, explica Machado ao prefeito de Maringá e também ao prefeito de Paiçandu, Ismael Batista, e ao prefeito de Goioerê, Roberto do Reis Lima.   











Nenhum comentário