Últimas Notícias

Delegado Luiz Alves critica Comad por ser contra representante da Câmara no Conselho sobre Drogas

Comad emite ofício contra excelente projeto do vereador Luiz Alves. Conselho de Políticas sobre Drogas "eleva pau" do delegado e dos outros vereadores na Câmara Municipal de Maringá durante a sessão desta quinta, 24 de junho. 

Vereador, Delegado Luiz Cláudio Alves/Foto CMM

Por Repórter Jota Silva

Durante a Semana Municipal de Prevenção às Drogas, o Vereador Luiz Cláudio Alves, que inclusive é delegado de polícia em Maringá, criou um excelente projeto de Lei que pede a participação de um representante da Câmara Municipal e também possivelmente até um representante da sociedade no Comad - Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas.

O ótimo projeto visa uma interação melhor do legislativo e consequentemente da sociedade que elegeu os nobres vereadores e cobra principalmente deles, que são os representantes na casa de leis, um melhor empenho no combate às drogas e na segunda pública municipal.

O Comad não gostou!

O Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas (Comad) não gostou da possível interferência dos vereadores (na ferida) que é o combate às drogas na cidade e enviou nesta quinta, 24 de junho, um ofício à Câmara Municipal de Maringá em resposta contrária ao projeto de Lei do Vereador Luiz Cláudio Alves, que prevê um representante da Câmara no Conselho. 

As alegações do Comad são absurdas!

O Comad ‘tenta’ explica no ofício, que os vereadores são muito atarefados e não é função deles participarem do Conselho. E tem Mais! Na alegação absurda, eles dizem que para incluir um representante do Legislativo seria preciso mudar a legislação que determina a composição do Conselho. As alegações só pioram, no ofício o conselho também alega absurdamente que um representante do legislativo poderia faltar das reuniões interferindo no quórum necessário para as decisões. Entretanto o Comad não está tendo um bom desempenho, já que o consumo de drogas em Maringá só aumenta e as medidas adotadas pelo conselho até agora não estão surtindo efeito esperado pela população e as reclamações sobre o tráfico de drogas 'disparam' na cidade e a cobrança sobre os vereadores também.

“Quem vota lei aqui senhoras e senhores, é o Conselho? Quem aprova lei é o Conselho? Nem é o prefeito, somos nós aqui [vereadores/legislativo], prefeito para ele aprovar uma lei tem que pedir à gente, para ver se a gente concorda com isso! Como é que um Conselho vai querer se sobrepor a própria lei, querer se sobrepor ao parlamento, ao povo?! Então ele está querendo se sobrepor ao próprio povo? Quem foi eleito para estar aqui representando o povo? ... Foram os conselheiros ou fomos todos nós que estamos aqui, mais o prefeito? ” Comenta Luiz Alves. 

“Agora quem foi eleito, que está representando o povo tem que perguntar [ao Conselho] se pode fazer alguma coisa?! Que lógica é essa que inventaram agora? ” Frisou o Delegado Luiz Alves. 

O vereador Delegado Luiz Cláudio Alves considerou a justificativa do Comad indelicada e malcriada, fez um duro discurso criticando o ofício, foi muito aplaudido e apoiado por quem estava presente na sessão desta quinta e pelos outros vereadores que também criticaram o Comad.

As alegações foram indigestas para o legislativo que decidiu, vai determinar ao Comad a prestar contas mensalmente na Câmara Municipal de Maringá.

Conclusão do repórter Jota Silva; "Quando Alguém faz um excelente projeto de combate às drogas aparece para atrapalhar esse tal de Comad, conselho que quase nunca mostra a cara ou para que veio. Por isso o consumo de drogas só aumenta em Maringá e região."


Nenhum comentário