Últimas Notícias

Vereadores suspeitam que SUDAMED tenha aplicado golpe na Prefeitura de Maringá

Vereador Alex Chaves, líder do governo na Câmara Municipal de Maringá

A Sudamed empresa que venceu no começo do ano, pregão e tornou-se em 2021 a nova administradora do SAMA, assistência à saúde dos servidores públicos de Maringá, pelo valor de R$ 19.189.440,00 milhões por ano, causou descontentamento nos vereadores após deixar de pagar dois hospitais na cidade.

Vereador Alex Chaves, líder do governo na Câmara Municipal, "dá bronca" na Sudamed durante a sessão do dia 29 de abril, por não honrar compromissos com os servidores do município de Maringá.

A empresa foi duramente criticada na sessão desta quinta-feira, 29 de abril, pelo líder do prefeito, o vereador Alex Chaves e também pelos vereadores Onivaldo Barris e Flávio Mantovani.

Os vereadores suspeitam que a empresa jogou um valor muito baixo já com a intenção de pedir futuramente um aditivo que equiparasse ou ultrapassasse o valor base de 80 reais por atendimento estipulado pela prefeitura, ou seja, os vereadores suspeitam que a Sudamed aplicou um golpe na prefeitura para operar o serviço de saúdo do servidor em Maringá

O valor per capta acordado entre a Sudamed e a prefeitura de Maringá, com previsão de cobertura para até 36 mil pessoas, entre servidores e dependentes, ficou em R$ 44,42 por mês. Porém após 3 meses, período que a empresa teve para se adequar, a Sudamed está pedindo um aditivo no valor de R$ 2, 349, 958,00 milhões de reais, alegando perdas com atendimento relativo a pandemia.

A Sudamed começou a operar o Serviço de Assistência em Saúde dos Servidores da Prefeitura de Maringá (Sama), no domingo, 10 de janeiro de 2021, no entanto não está prestando o serviço adequadamente.

A empresa deixou de repassar recursos ao Hospital Paraná e ao Hospital Maringá, ambos emitiram comunicado cancelando o atendimento ao SAMA no final do mês de abril.

Prefeitura e Câmara buscam soluções para a crise no SAMA

A Prefeitura de Maringá busca soluções para a continuidade do atendimento da área da saúde dos servidores municipais. Na manhã de 29 de abril, o prefeito Ulisses Maia, o procurador municipal Douglas Galvão e o presidente da Câmara de Vereadores, Mário Hossokawa se reuniram com os representantes dos hospitais Paraná e Maringá, que são conveniados a Sudamed. Durante a reunião, trataram sobre o interrompimento do atendimento médico dos hospitais contratado pela empresa. A empresa chegou a ser notificada pela Prefeitura que alertou sobre a rescisão do contrato com a prestadora de serviços.

Prefeitura de Maringá anuncia rescisão com a Sudamed

Diante do comunicado do Hospital Paraná e do Hospital Maringá, nos dias 28 e 29, anunciando a interrupção do atendimento da área da saúde dos servidores municipais conveniados à Sudamed, a Prefeitura de Maringá decidiu que rescindirá o contrato com esta prestadora de serviços na próxima segunda-feira, 3. 

A Sudamed é a operadora do Sistema de Atenção à Saúde dos Servidores da Prefeitura de Maringá (SAMA). No início da semana, o Hospital Paraná já havia anunciado a interrupção do atendimento dos servidores. Com isso, estes ficaram descobertos para atendimentos de urgência e emergência.

A Prefeitura de Maringá já havia notificado a Sudamed para prestar esclarecimentos sobre a situação financeira e a regularização dos atendimentos. Como a situação não foi normalizada, o contrato com a prestadora de serviços será suspenso e, enquanto abre processo para realizar nova licitação, o município realizará a contratação emergencial de uma empresa para atender o SAMA. 

A Prefeitura de Maringá não tem débitos com a Sudamed e todos os pagamentos a esta empresa estão em dia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Nenhum comentário