Últimas Notícias

Delegados Jacovós e Francischini estarão nas regiões norte e noroeste para investigar fura-filas das vacinas

Delegados Jacovós e Francischini 

Os delegados Francischini e Jacovós, presidente e vice-presidente da Comissão Especial que investiga os fura-filas da vacina, e possivelmente outros deputados que ainda não confirmaram presença, estarão nesta quinta-feira (20) em Apucarana, para fazerem diligências em órgãos administrativos do município, bem como, reunião com promotores, Polícia Civil, e havendo ordem jucial, farão a oitiva da falsa enfermeira Silvania Regina Ribeiro, atualmente presa no minipresídio de Apucarana, após ter se apresentada como enfermeira voluntária para a vacinação e ter desviado frascos de vacina. Outras atividades poderão ocorrer na cidade a critério dos deputados.

Na sexta-feira (21), a Comissão estará na cidade de Umuarama, onde o Ministério Público desencadeou operação Metástase, prendeu 07 pessoas e apura um suposto desvio de R$ 19 milhões dos cofres públicos.

"Com tanta gente morrendo, passando fome ou enfrentando uma dura realidade, essas pessoas gastando o dinheiro da saúde e furando fila de vacinação são uma achaque para a sociedade. Nosso objetivo é colher informações para compor o nosso relatório, e ao final, vamos construir uma proposta legislativa que acabe com a possibilidade de se furar a fila. Afinal devemos ter mais vacinações nos próximos anos", ponderou Francischini.

Para o Delegado Jacovós, a Comissão precisa agir com rigor, pois além dos crimes cometidos por essas pessoas, a conduta é repugnante. “Em um momento de grave crise tanto na saúde como na economia, que atinge toda a população, não podemos aceitar estes indivíduos que se acham melhor que todos, colocando o egoísmo, individualismo e o desprezo pela sociedade que vivem como sua prioridade”.

O objetivo da Comissão é coletar os dados das investigações do Ministério Público, da Polícia, e possivelmente, levantar informações complementares para ao final, elaborarem um relatório destas cidades e outras do estado do Paraná, encaminhando tudo ao Ministério Público, onde os envolvidos e suspeitos poderão ser processados e responsabilizados na forma da lei.

Nenhum comentário