Últimas Notícias

Operação da Polícia Civil e Prefeitura apreende carnes em frigorífico clandestino

Local foi interditado e produtos apreendidos
Fotos: Aldemir de Moraes / PMM

A Vigilância Sanitária, o Serviço de Inspeção Municipal (SIM), o Procon e a Polícia Civil de Maringá fizeram uma operação na manhã de hoje (28), num frigorífico clandestino na PR-317. Estabelecimento foi flagrado com procedimentos irregulares na conservação e comercialização de carnes. 

Entre os problemas encontrados estão o armazenamento feito de forma inadequada, manuseio sem condições de higiene, produtos com data de validade vencida e sem registro. Situações que colocam a saúde do consumidor em risco. “Todos os produtos apreendidos vão para descarte porque são impróprios para consumo”, justificou a fiscal da Vigilância Sanitária, Samantha Cristina Bego. “Não sabemos de onde veio e por onde passou. Não pode servir para alimentação”. 

A operação ainda está em andamento para apreensão de todos produtos e materiais. A prefeitura já havia vistoriado o local e orientado sobre as normas sanitárias, após denúncia na Vigilância Sanitária. Havia no local carnes de boi, peixe, frango, legumes e verduras. Os produtos estavam congelados, em cortes e embutidos.

O proprietário do local foi preso e encaminhado para a delegacia de Polícia Civil para registro da ocorrência. Estabelecimento operava de maneira improvisada, sem documentação e foi interditado. Serão geradas e registradas multas da Vigilância Sanitária e do Procon nos próximos dias. O frigorífico clandestino funcionava num sobrado no Parque Industrial, na PR-317, próximo da rotatória do posto Matsuda. O local foi interditado. 

PARCERIA - Foi a segunda operação conjunta em pouco mais de um mês. No dia 18 de março, a PC e a prefeitura fizeram uma operação que resultou no indiciamento do proprietário e apreensão de medicamentos e alimentos num estabelecimento clandestino no Jardim Higienópolis. A Vigilância Sanitária faz parte da Secretaria de Saúde e o SIM faz parte da Secretaria de Trabalho e Renda (SeTrab).








Nenhum comentário