Últimas Notícias

Lei de gratificação aos servidores da saúde da linha de frente é sancionada

 


O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, sancionou nesta semana a Lei complementar Nº 1.275 que prevê a gratificação temporária de 20% para os servidores da saúde que atuam da linha da frente da pandemia do coronavírus. A lei é de autoria do poder executivo. 

A gratificação é aplicada sobre o salário enquanto os servidores estiverem em exercícios nas unidades de saúde de enfrentamento à covid-19 e enquanto perdurar a situação de emergência em virtude da pandemia. 

“Essa é mais uma ação da gestão para reconhecer e agradecer o trabalho dos servidores da linha de frente. São profissionais que trabalham incansavelmente para cuidar da população. Também enviamos à Câmara o projeto que prevê a indenização às famílias de servidores vítimas de coronavírus”, destacou.

A lei de indenização (Nº15.819/2021) foi aprovada em primeira discussão nesta terça, 16, pela Câmara de Vereadores. A lei institui indenização de R$ 50 mil para famílias de servidores da saúde que morreram vítimas da covid-19. O projeto foi aprovado com 11 votos favoráveis e entrará em segunda discussão nesta quinta, 18. 

São quatro servidores da linha de frente que morreram por complicações da covid-19 em Maringá: Luís Carlos de Azevedo, de 47 anos, técnico de enfermagem da UPA Zona Norte; Jorge Karigyo, 62 anos, médico da UPA Zona Sul; Celina Antonio da Silva Souza, 51 anos, enfermeira e coordenadora da UPA Zona Norte; Sônia Fátima Corcetti Facimoto, 53 anos, técnica de enfermagem da UPA Zona Norte.


Nenhum comentário