Últimas Notícias

Ricardo Barros participa de reunião com Ministro da Saúde e Frente Parlamentar da Indústria Pública de Medicamentos




Na manhã desta quarta-feira, 2 de fevereiro, o deputado federal e líder do governo, Ricardo Barros (PP-PR) participou de uma reunião com o Ministro da Saúde Pazzuello e a Frente Parlamentar da Indústria Pública de Medicamentos para tratar sobre as Parcerias de Desenvolvimento Produtivo PDPs, para ampliar a oferta de Medicamentos para atendimento à população.

"Seguimos trabalhando em favor das pessoas" afirma Ricardo Barros.

reunião com o Ministro da Saúde Pazzuello e a Frente Parlamentar da Indústria Pública de Medicamentos

O que são as PDPs 

O Sistema Único de Saúde (SUS) possui, atualmente, 17 laboratórios públicos envolvidos nos processos das PDPS e que são responsáveis pela produção de medicamentos, soros e vacinas para atender às necessidades da rede pública do país. Entretanto, muitos produtos ainda são importados de outros países e a carência da produção nacional e os gastos elevados com esses medicamentos podem dificultar o acesso da população aos mesmos. 

Com a intenção de fortalecer a indústria nacional farmoquímica e de medicamentos o Ministério da Saúde (MS) lançou as Parcerias de Desenvolvimento Produtivo, através da Portaria nº 837/2012. Elas fazem parte da política do Plano Brasil Maior, que tem como uma das diretrizes o foco em inovação e no crescimento produtivo do parque industrial brasileiro. 

Por meio do Programa de Investimento no Complexo Industrial da Saúde (Procis) o MS tem investido em infraestrutura e qualificação de mão de obra de 17 laboratórios públicos oficiais, entre eles, Farmanguinhos. E para garantir a autonomia da produção de medicamentos e a competitividade do país, o governo tem ampliado as Parcerias entre os laboratórios públicos e privados. 

Como ultimamente muito tem se falado em PDPs, e para facilitar o entendimento a respeito, abaixo está uma explicação detalhada sobre o funcionamento desse programa estratégico do MS que tem beneficiado não apenas os laboratórios públicos e privados, mas o principal interessado: a população brasileira com a ampliação da assistência farmacêutica. 

Como funcionam as PDPs 

Nas Parcerias de Desenvolvimento Produtivo, o Ministério da Saúde firma acordos com laboratórios privados para que os mesmos se comprometam a transferir, aos laboratórios públicos brasileiros, a tecnologia para a produção de determinado medicamento dentro do prazo de cinco anos. Durante esse período, os laboratórios do setor privado são responsáveis pela produção do princípio ativo e transferência da tecnologia ao laboratório público. 

 Para que ambos sejam beneficiados durante o acordo, o governo garante aos laboratórios privados a exclusividade na compra desses produtos durante o mesmo período. Após o prazo para a transferência de tecnologia, o laboratório público nacional inicia, de forma autônoma, a produção completa do medicamento visando atender à demanda nacional. 

Com a produção sendo realizada no país, os laboratórios públicos ajudam a reduzir a dependência de importação e produzem medicamentos de qualidade, ampliando sua competitividade e capacitação tecnológica. 

Qual a importância das PDPs? 

Além de gerar uma significante economia para o Ministério (cerca de 2,8 bilhões por ano) e diminuir a dependência do país para a importação desses produtos, as parcerias firmadas até agora também trazem benefícios à população, pois garantem o abastecimento de medicamentos essenciais à rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Com o acerto dos acordos firmados (63 PDPs para a produção nacional de 53 medicamentos), estima-se que mais de 13 milhões de pessoas sejam beneficiadas com a produção dos medicamentos por meio dessas parcerias. 

No caso de Farmanguinhos, as PDPs ajudam a ampliar o campo de atuação do Instituto e garantem a atuação da unidade como um importante ator para a implantação da política estratégica do Ministério da Saúde. Graças às PDPs, o faturamento de Farmanguinhos aumentou de R$200 para R$ 500 milhões, nos últimos dois anos (2012/2013). 

Parcerias de Farmanguinhos 

Na última Reunião do Comitê Executivo e Conselho de Competitividade do Complexo Industrial da Saúde (Gecis), realizada em abril de 2013, Farmanguinhos oficializou mais uma parceria para a produção do antirretroviral Darunavir. 

Atualmente, a lista de medicamentos produzidos por Farmanguinhos, por meio dessas parcerias, cada vez aumenta. Ao todo, são 15 as parcerias firmadas. Isso representa quase 24% do total das PDP’s realizadas pelo Ministério da Saúde. Entre os medicamentos que serão produzidos encontram-se antirretrovirais, antiasmáticos, imunossupressores, antiparkisoniano, tuberculostático e antineoplásicos. 

Confira abaixo a lista dos itens resultantes das PDPs de Farmanguinhos: 

Tuberculostático 4 em 1 

Imunossupressor Tacrolimo 

Antilipêmico Atorvastatina Cálcica 

Antirretroviral Atazanavir 

Antirretroviral Darunavir 

Antirretrovital Efavirenz (licenciamento compulsório) 

Anirretroviral Lopinavir+Ritonavir 

Antirretroviral Tenofovir + Lamivudina e Efavirenz 

Antirretroviral Tenofovir + Lamivudina 

Antiasmático Budesonida + Formoterol 

Antiasmático Salbutalmol 

Antiasmático Budesonida 

Antineoplásico Mesilato de Imatinibe (para leucemia mieloide crônica) 

Antineoplásico Docetaxel 

Antiparkinsoniano Pramipexol 

Nenhum comentário