Últimas Notícias

Nova Ameaça | Secretaria da Saúde teme nova pandemia após Menina de 4 anos contrair vírus H1N2 no Paraná

A Secretaria da Saúde do Paraná detectou mais um caso de H1N2, subtipo inusitado do vírus Influenza A, no município de Rebouças, na 4ª Regional de Irati.

O vírus foi detectado na análise de amostra coletada em um menina de 4 anos, residente na zona rural. É o segundo caso descoberto no estado durante este ano; o primeiro foi identificado no mês de abril, em Ibiporã, em uma mulher de 22 anos, que se recuperou rapidamente.

A criança infectada recentemente também está bem, sendo monitorada em casa. Os pais levaram a garota para atendimento no Hospital Darcy Vargas, no dia 16 de novembro, com febre de 39ºC, dispneia, desconforto respiratório, coriza e dor de cabeça.

Foi coletada amostra para pesquisa de vírus respiratório, avaliada com detecção do vírus como Influenza A pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). Em seguida, a amostra foi e enviada para o Laboratório de Referência Nacional, da IOC-Fiocruz do Rio de Janeiro, que fez ao sequenciamento do genoma viral completo e determinação do subtipo H1N2.

Como a ocorrência é de notificação compulsória, o MS irá comunicar à Organização Mundial da Saúde (OMS) e Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Neste momento, profissionais das áreas técnicas da Vigilância em Saúde da Sesa Paraná, Laboratório Central do Estado,    Ministério da Saúde,  Ministério da Agricultura e Fiocruz articulam ações de investigação e controle do caso.

Uma equipe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) e da Divisão de Vigilância das Doenças Transmissíveis da Sesa esteve, durante esta semana, em Rebouças realizando a análise retrospectiva do caso, coleta de novos materiais e pesquisa junto a rede de contatos da família da criança infectada, com apoio da Secretaria Municipal de Saúde de Rebouças e da 4ª. Regional de Saúde de Irati.

“Em meio à pandemia da Covid-19, qualquer novo vírus com potencial epidêmico identificado merece toda a atenção da Sesa e imediata implementação de medidas de prevenção e controle”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

H1N2 – O H1N2 é um subtipo do vírus Influenza A e, neste momento, o Laboratório da Fiocruz faz a análise filogenética para compreensão detalhada da cepa encontrada aqui.

"É uma medida fundamental pois temos que trabalhar com todos os cenários epidemiológicos e, inclusive, com a possível emergência do vírus no hospedeiro humano. Espera-se que isso não aconteça e que o ciclo seja encerrado neste único contaminado”, explica a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesa, Acácia Nasr.

O Paraná realiza dois tipos de Vigilância para as viroses respiratórias: com coletas semanais de amostras de pessoas que apresentam sintomas de síndrome gripal nas 34 unidades sentinelas da secretaria da saúde e com a coleta obrigatória de material de pacientes internados em decorrência de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

“No Estado, todo paciente que interna, seja em UTI ou leito de enfermaria, com suspeita de síndrome gripal ou com síndrome respiratória aguda grave, realiza a coleta”, complementa. “Então, com estes dois tipos de coletas, nas unidades sentinelas e nas unidades de internação, desenvolvemos um painel de pesquisa para 15 vírus respiratórios; trata-se do painel mais extenso do país e por esta razão o trabalho de monitoramento desenvolvido aqui é modelo nacional”, complementou a diretora-técnica do Lacen-PR, Irina Riediger.


Fonte: Secretaria de Saúde do Paraná - SESA

Nenhum comentário