Últimas Notícias

Vereadores de Umuarama podem ter mandatos cassados após propagarem ‘fake news’

Vereadores foram representados na Câmara, e criminalmente na delegacia, por quebra de decoro parlamentar. Eles foram denunciados por disseminação irresponsável de 'fake news' pela internet.

Vereadores Ana Novais (PSL) e Deybson Bitencourt (PDT)

Umuarama News | A suposta má conduta dos vereadores Ana Novais (PSL) e Deybson Bitencourt (PDT),  que infringe o código de ética parlamentar, pode resultar na cassação dos mandatos dos mesmos. Ambos foram representados na Câmara Municipal de Umuarama, e também na esfera criminal, após disseminarem notícias manipuladas, pela internet, as conhecidas fake news.

Ana Novais foi denunciada pelo crime de difamação contra a empresária do meio da comunicação, Flávia Azevedo e site Umuarama News, quando em 31 de janeiro deste ano, por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp, de forma leviana e irresponsável, compartilhou dois vídeos editados e manipulados, contendo gravações obtidas de forma ilegal, utilizando a marca da empresa da denunciante, com intuito único de denegrir a imagem do site e ferir a honra da empresária. A parlamentar enviou a fake News para diversas pessoas, inclusive da imprensa local.

Contra a vereadora ainda foi confeccionado um Boletim de Ocorrência, na delegacia de Polícia Civil de Umuarama (7ª SDP), pela ausência de compromisso com a verdade, e comprovadamente, falta de ética.



Segundo Flávia, provas e testemunhas confirmam a veracidade da atitude ilícita e errônea da parlamentar, que inescrupulosamente tentou, em uma ação leviana, ofender gratuitamente a empresária. “Nunca em toda a trajetória do meu site, faltamos com respeito com a nobre vereadora. Pelo contrário, só foram divulgadas notícias que destacavam o trabalho dela. Ana Novais fez tudo isso, somente porque não a apoio politicamente, o que é público e notório, já que até membro de partido comunista ela foi”, afirma.

Pela mesma prática, o edis Deybson Bitencourt também responderá, tanto na Casa do Povo, quanto na área criminal. Ele foi representado e denunciado por disseminar, no mundo virtual, uma falsa notícia sobre suposto caso de corrupção na Câmara Municipal. Os denunciantes Edvaldo Ceranto Junior, Ronaldo Cruz Cardoso e Luiz Genesio Picoloto, pedem a cassação do mandato do vereador. “Pelos fatos delituosos cometidos e perpetrados, conforma se comprovam pela Ata Notarial (…), bem como pelo BO em trâmite na Delegacia de Polícia Civil, entendemos que caracteriza-se às escâncaras quebra de decoro parlamentar, por parte do vereador Deybson Bitencourt, que por medida de direito, deve ter seu mandato cassado, por falta de decoro parlamentar”, finaliza o requerimento, deferido pelo presidente, Noel Aparecido Bernardino “Noel do Pão”.

No mês de dezembro do ano passado, o assessor do vereador Deybson Bittencourt filmou com celular a saída dos integrantes de uma reunião que tratava do adiamento de um Projeto do Executivo Municipal, na reunião estiveram presentes Edvaldo Ceranto Junior, Ronaldo Cruz Cardoso e Luiz Genesio Picoloto e um funcionário da Sanepar com uma mochila nas costas contendo o seu Notebook. O vídeo foi postado em redes sociais com suposições levianas de que na mochila havia dinheiro para pagamento de propina. Na ocasião, as vítima registraram um boletim de ocorrência na delegacia local e ingressaram com uma ação na justiça.

Na última segunda-feira (20), houve o sorteio de vereadores designados para deliberar acerca de dois procedimentos de representação junto ao Parlamento Municipal. A Casa relembra que ambas denúncias pedem a cassação dos vereadores, por suposta infringência ao código de ética.

O Legislativo informa que o procedimento deve ser analisado por vereadores sorteados em plenário conforme o Art. 07 da Resolução n° 07/1995, da Câmara Municipal de Umuarama, que determina este tipo de tratativa para composição de Comissão de Exame do Recebimento de Denúncia.

Com o sorteio, ficaram definidos os vereadores Ana Novais, Jones Vivi e Antonio Comparsi para a representação contra Bitencourt, enquanto Maria Ornelas, Jones Vivi e Toninho Comparsi foram sorteados para deliberar acerca do procedimento que envolve Novais.

Segundo Flávia, provas e testemunhas confirmam a veracidade da atitude ilícita e errônea da parlamentar, que inescrupulosamente tentou, em uma ação leviana, ofender gratuitamente a empresária. “Nunca em toda a trajetória do meu site, faltamos com respeito com a nobre vereadora. Pelo contrário, só foram divulgadas notícias que destacavam o trabalho dela. Ana Novais fez tudo isso, somente porque não a apoio politicamente, o que é público e notório, já que até membro de partido comunista ela foi”, afirma.

Pela mesma prática, o edis Deybson Bitencourt também responderá, tanto na Casa do Povo, quanto na área criminal. Ele foi representado e denunciado por disseminar, no mundo virtual, uma falsa notícia sobre suposto caso de corrupção na Câmara Municipal. Os denunciantes Edvaldo Ceranto Junior, Ronaldo Cruz Cardoso e Luiz Genesio Picoloto, pedem a cassação do mandato do vereador. “Pelos fatos delituosos cometidos e perpetrados, conforma se comprovam pela Ata Notarial (…), bem como pelo BO em trâmite na Delegacia de Polícia Civil, entendemos que caracteriza-se às escâncaras quebra de decoro parlamentar, por parte do vereador Deybson Bitencourt, que por medida de direito, deve ter seu mandato cassado, por falta de decoro parlamentar”, finaliza o requerimento, deferido pelo presidente, Noel Aparecido Bernardino “Noel do Pão”.

No mês de dezembro do ano passado, o assessor do vereador Deybson Bittencourt filmou com celular a saída dos integrantes de uma reunião que tratava do adiamento de um Projeto do Executivo Municipal, na reunião estiveram presentes Edvaldo Ceranto Junior, Ronaldo Cruz Cardoso e Luiz Genesio Picoloto e um funcionário da Sanepar com uma mochila nas costas contendo o seu Notebook. O vídeo foi postado em redes sociais com suposições levianas de que na mochila havia dinheiro para pagamento de propina. Na ocasião, as vítima registraram um boletim de ocorrência na delegacia local e ingressaram com uma ação na justiça.

Na última segunda-feira (20), houve o sorteio de vereadores designados para deliberar acerca de dois procedimentos de representação junto ao Parlamento Municipal. A Casa relembra que ambas denúncias pedem a cassação dos vereadores, por suposta infringência ao código de ética.

O Legislativo informa que o procedimento deve ser analisado por vereadores sorteados em plenário conforme o Art. 07 da Resolução n° 07/1995, da Câmara Municipal de Umuarama, que determina este tipo de tratativa para composição de Comissão de Exame do Recebimento de Denúncia.

Com o sorteio, ficaram definidos os vereadores Ana Novais, Jones Vivi e Antonio Comparsi para a representação contra Bitencourt, enquanto Maria Ornelas, Jones Vivi e Toninho Comparsi foram sorteados para deliberar acerca do procedimento que envolve Novais.

 Segundo Flávia, provas e testemunhas confirmam a veracidade da atitude ilícita e errônea da parlamentar, que inescrupulosamente tentou, em uma ação leviana, ofender gratuitamente a empresária. “Nunca em toda a trajetória do meu site, faltamos com respeito com a nobre vereadora. Pelo contrário, só foram divulgadas notícias que destacavam o trabalho dela. Ana Novais fez tudo isso, somente porque não a apoio politicamente, o que é público e notório, já que até membro de partido comunista ela foi”, afirma.

Pela mesma prática, o edis Deybson Bitencourt também responderá, tanto na Casa do Povo, quanto na área criminal. Ele foi representado e denunciado por disseminar, no mundo virtual, uma falsa notícia sobre suposto caso de corrupção na Câmara Municipal. Os denunciantes Edvaldo Ceranto Junior, Ronaldo Cruz Cardoso e Luiz Genesio Picoloto, pedem a cassação do mandato do vereador. “Pelos fatos delituosos cometidos e perpetrados, conforma se comprovam pela Ata Notarial (…), bem como pelo BO em trâmite na Delegacia de Polícia Civil, entendemos que caracteriza-se às escâncaras quebra de decoro parlamentar, por parte do vereador Deybson Bitencourt, que por medida de direito, deve ter seu mandato cassado, por falta de decoro parlamentar”, finaliza o requerimento, deferido pelo presidente, Noel Aparecido Bernardino “Noel do Pão”.

No mês de dezembro do ano passado, o assessor do vereador Deybson Bittencourt filmou com celular a saída dos integrantes de uma reunião que tratava do adiamento de um Projeto do Executivo Municipal, na reunião estiveram presentes Edvaldo Ceranto Junior, Ronaldo Cruz Cardoso e Luiz Genesio Picoloto e um funcionário da Sanepar com uma mochila nas costas contendo o seu Notebook. O vídeo foi postado em redes sociais com suposições levianas de que na mochila havia dinheiro para pagamento de propina. Na ocasião, as vítima registraram um boletim de ocorrência na delegacia local e ingressaram com uma ação na justiça.

Na última segunda-feira (20), houve o sorteio de vereadores designados para deliberar acerca de dois procedimentos de representação junto ao Parlamento Municipal. A Casa relembra que ambas denúncias pedem a cassação dos vereadores, por suposta infringência ao código de ética.

O Legislativo informa que o procedimento deve ser analisado por vereadores sorteados em plenário conforme o Art. 07 da Resolução n° 07/1995, da Câmara Municipal de Umuarama, que determina este tipo de tratativa para composição de Comissão de Exame do Recebimento de Denúncia.

Com o sorteio, ficaram definidos os vereadores Ana Novais, Jones Vivi e Antonio Comparsi para a representação contra Bitencourt, enquanto Maria Ornelas, Jones Vivi e Toninho Comparsi foram sorteados para deliberar acerca do procedimento que envolve Novais.


Fonte: Umuarama News (para acessar clique aqui)


Nenhum comentário